domingo, 10 de agosto de 2008

AH-56 Cheyenne: Sofisticado,Veloz...e rejeitado.

De olho no Vietnam:
Em meados dos anos 60 o Exército dos EUA cocluiu que o intenso fogo de solo dos Vietcongs e tropas da NVA exigia a criação de uma aeronave de apoio pesadamente armada,veloz e ágil.Baseado nisso o US Army desenvolveu os requerimentos para um helicóptero dedicado ao ataque,o “Sistema de Apoio de Fogo Aéreo Avançado do Exército”(AAFSS).

Em agosto de 1964 o exército emitiu a requisição de propostas para o AAFSS.Três companhias ofereceram projetos,a Lockheed com o AH-56 Cheyenne,a Bell com uma versão menor do Iroquois Warrior(que viria a se tornar o AH-1 Cobra) e a Sikorsky com o S-66 de 1964,um aparelho que possuía um rotor anti-torque traseiro que podia girar 90 graus e agir como propulsor de cauda,transformando o S-66 numa aeronave composta em vôo de cruzeiro,característica também presente no Cheyenne.

Em fevereiro de 1965 a Lockheed e a Sikorsky foram selecionadas devido a seus projetos serem mais baratos,estarem disponíveis mais cedo e serem menos arriscados técnicamente.Em março de 1966 a Lockheed venceu o AAFSS e assinou um contrato de engenharia com o Exército para a produção de dez protótipos YAH-56A.Em janeiro de 1967 o exército encomendou 375 aeronaves por 31,4 milhões.
A Lockheed já tinha construído um helicóptero com rotor rígido,o XH-51 e o Cheyenne seguiu esse desenho.A companhia oficialmente rolou seu primeiro protótipo em 3 de maio de 1967.O aparelho possuía um rotor rígido,tripulação de dois,e uma estação de pontaria XM112 ligada a torres giratórias no nariz e ventre,além de um localizador de alcance laser para o computador de fogo.O primeiro vôo do Cheyenne ocorreu em 21 de setembro de 1967 e todos os dez protótipos(números de série 66-8826 a 8835)foram entregues ao exército para testes de vôo em julho de 1968,sendo redesignados AH-56 no início de 1969.

De qualquer modo,nos vôos de teste que se seguiram o helicóptero mostrou-se instável em velocidades acima de 320km/h e três deles foram perdidos em acidentes.Durante um vôo de teste em 12 de maio de 1969 o rotor principal sofreu um problema de controle e atingiu o canopy,matando o piloto e o último dos dez protótipos foi destruído num acidente dentro do túnel de vento(foto acima e à direita).O projeto agora sofria sérios atrasos e após várias modificações no desenho os testes continuaram...mas o AH-56 caminhava rumo a um beco sem saída.

Desenho inovador:
O Cheyenne apresentava uma avançada e exótica configuração composta,com um rotor principal fixo giro-controlado,uma hélice propulsora de três pás na cauda e um rotor anti-torque com quatro pás também na cauda,algo que a Lockheed pesquisava desde 1959.O rotor rígido permitia a helicópteros realizar manobras genuinamente acrobáticas.Ele possuía um trem de pouso dianteiro retrátil e pequenas asas com 8m de envergadura e 24m2 de área nas laterais da fuselagem que serviam para descarregar o peso do rotor durante vôo em alta velocidade.

A aparência feia do Cheyenne era decepcionante porém em vôo a aeronave era incrívelmente ágil e extremamente veloz.Suas performances impressionantes eram fruto de um inovador sistema de propulsão composto por uma turbina GE com 3435shp.Durante o vôo vertical e horizontal todas as forças eram aplicadas no rotor principal e anti-torque e durante o vôo para a frente quase 700shp eram aplicados no rotor traseiro de impulso.Durante o vôo para a frente a sustentação era produzida pelas asas laterais junto ao rotor principal.O Cheyenne podia voar a 388km/h,podia subir 1025m por minuto e tinha um alcance de 1970km.Em configuração absolutamente “limpa” o AH-56A era capaz de atingir velocidades ao nível do mar acima de 407km/h.Seu desenho era classificado como aeronave composta (quase um helicóptero/avião) e não lhe qualificava a oficializar recordes de velocidade na categoria helicópteros.

Sistemas de Armas e Navegação :
O Cheyenne acomodava uma tripulação de dois sentados em tandem com o co-piloto/artilheiro na frente e o piloto atrás.Apresentava um avançado sistema de navegação e controle de fogo que serviu de base para o posterior AH-64 Apache.
Um aspecto incomum no Cheyenne era a estação do artilheiro.Sob o ventre e ao centro da aeronave havia uma torreta capaz de girar 360 graus e equipada com um canhão de 30mm XM-140.A estação de tiro,consoles e assento dianteiro girava junto com a torreta para manter o artilheiro olhando para a mesma direção que as armas,embora a fuselagem cobrisse a visão traseira do artilheiro em 120 graus.No nariz havia outra torreta que podia ser equipada com uma minigun multi-canos XM134 de 7.62mm,ou um lançador de granadas XM-129 de 40mm.
O sofisticado sistema de pontaria incluía equipamento de visão noturna e mira no capacete.

O AH-56 possuía seis pontos de fixação para armas,com dois sob cada asa e dois sob a fuselagem.Os dois pontos internos de cada asa podiam levar pods com 3 mísseis anti-tanque TOW e pods XM-200 com foguetes não guiados de 70mm.Também podiam ser levados 19 lançadores de foguetes nos quatro pontos das asas.Os dois pontos sob a fuselagem levavam tanques de combustível.Se necessário,os dois pontos internos das asas também podiam levar combustível adicional.

As especificações do AAFSS pediam uma aeronave capaz de realizar escolta armada,interdição de longo alcance,apoio de fogo e operações anti-tanque de dia ou à noite em qualquer condição meteorológica e o Cheyenne foi equipado de acordo.A capacidade dia e noite do Cheyenne baseava-se numa grande suíte de aviônicos que incluíam radar de varredura automática do terreno,radar Doppler,uma unidade interna de navegação inercial e um sistema automático de controle de vôo que permitia vôo em alta velocidade a altitudes abaixo dos 15 pés.

Sofisticado demais para o Exército:
Esperava-se que o Cheyenne entrasse em serviço em 1968,mas apesar da sofisticação tecnológica ou talvez por causa dela,o AH-56A nunca entrou no serviço regular do Exército Americano.O programa de testes em vôo revelou vários problemas importantes com o inovador sistema propulsor da aeronave,problemas que resultaram no acidente fatal com um dos dez protótipos.Em adição,em março de 1979 significantes aumentos nos custos tinham aumentado o preço do Cheyenne para 500.000 dólares a unidade,um aumento inaceitável pelo Exército,que já gastava uma fortuna com as operações no Vietnam.

Finalmente,visando obter autorização para seu A-10 Warthog,a USAF tornou-se intensamente vocal em sua oposição à aquisição pelo Exército de uma aeronave capaz como o Cheyenne e continuou a pressionar pelo cancelamento do projeto AH-56.O exército queria um Helicóptero Avançado de Ataque(AAH)menor,mais ágil e com um sistema de navegação e controle de fogo menos complicado e acabou optando pelo desenvolvimento de um helicóptero menos sofisticado que o Cheyenne.Em 9 agosto de 1972 o US Army formalmente encerrou o programa AH-56.A missão do Cheyenne eventualmente seria assumida pelo AH-1 Cobra,que atuou com sucesso no Vietnam e pelo Boeing(formalmente McDonnell Douglas)AH-64 Apache,que teria seu batismo de fogo na Guerra do Golfo.



Dados técnicos do AH-56A "Cheyenne"
Tripulação: 2, Motor: 1 x General Electric T64-GE-16 com 2580kW, Diâmetro do rotor principal: 15.36m, Comprimento: 18.30m, Altura: 4.10m, Peso na decolagem: 13600kg, Peso vazio: 5320kg, Velocidade máxima: 408km/h ,Teto de serviço:6100m
video

Nenhum comentário: