quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Decolagem assistida por Foguete!

Muitas idéias bizarras foram pesquisadas na história da aviação.Um conceito estranho foi o zero-length launch –ZEL(Lançamento com Distância Zero),onde um caça a jato é lançado por um foguete de combustível sólido a partir de um reboque.Esse artigo discute a origem,desenvolvimento e destino desse conceito.

ZEMAL - Experimentos com o F-84:

Durante a Guerra Fria,a vulnerabilidade das bases aéreas a um ataque era óbvia aos estrategistas militares e um número de esquemas foram sonhados para se criar meios de fazer uma aeronave voar sem precisar de pistas.Foram realizados experimentos iniciais com decolagens e pousos verticais(VTOL),os "flying pogos",aeronaves que decolariam de nariz para cima e pousariam sobre suas caudas.As aterrissagens eram um procedimento assustador e o conceito não inspirou entusiasmo.Outra idéia considerada foi montar um foguete numa aeronave convencional e simplesmente dispará-la rumo ao céu,sem a necessidade de uma pista de decolagem.Foguetes "Jet-assisted take-off (JATO)" têm sido usados para ajudar aeronaves sobrecarregadas a decolar desde o fim da II Guerra Mundial e desenvolver um foguete maior não seria um problema.A idéia materializou-se na forma do programa chamado "Zero Length Launch / Mat Landing -ZELMAL"(Lançamento com Distância Zero/Pouso em Tapete).

Um caça Republic F-84G podia não apenas ser lançado ao ar por um grande foguete impulsionador mas também aterrissar sobre uma espécie de tapete inflável de 25 x 245 x 1 metros,agarrando um cabo para parar.Os testes começaram em dezembro de 1953 na Base da Força Aérea Edwards na Califórnia.Os lançamentos eram efetuados a partir de um reboque normalmente usado para lançar um míssil de cruzeiro Matador e é plausível que o booster usado no Matador tenha sido usado nesses testes.As decolagens eram surpreendentemente fáceis mas os pousos eram outra história.O tapete inflável,que era transportado num par de trailers,esvaziou na primeira vez em que foi montado e porções tiveram que ser enviadas ao fabricante Goodyear para reparos.

O primeiro pouso num tapete não ocorreu até 2 de junho de 1954.Foi um fiasco.O gancho do F-84G rasgou o tapete e a aeronave ficou tão avariada que teve de ser retirada.O piloto de teste,Robert Turner,ficou de cama com sérios ferimentos por dois meses.Duas outras aterrissagens sobre tapete foram realizadas e embora os resultados não tivessem sido tão ruins como no primeiro teste,a idéia mostrou-se problemática demais.George Rodney,um dos pilotos de teste,descreveu os pousos no tapete:”ficávamos amarrados em nossos assentos,então não podíamos ir de encontro à coluna de controle ou o painel de instrumentos mas infelizmente sua cabeça fazia um arco enorme e batia em seu peito.”Rodney sofreu um ferimento no pescoço que o incomoda até hoje.O ZEMAL foi cancelado após 28 lançamentos.A USAF abandonara o conceito por algum tempo.

ZEL - Experimentos com o F-100/F-104:

Embora as aterrissagens sobre o tapete tivessem sido uma má idéia,a decolagem por foguete funcionava muito bem e em 1957 a USAF decidiu reviver parte do conceito.A idéia agora era lançar uma aeronave de ataque equipada com uma bomba nuclear a partir de um reboque,o avião bombardeava o alvo e em seguida o piloto se ejetava sobre território amigo.A sigla agora era ZEL.O F-100 Super Sabre foi selecionado para os testes,o que gerou alguns problemas.O F-100 pesava quase o dobro do F-84 e requeria um foguete booster realmente grande para lançá-lo ao ar.O booster foi construído pela Rocketdyne e gerava 59000 kg de impulso por quatro segundos,fornecendo uma aceleração máxima de 4Gs.A aeronave podia instantaneamente se elevar a uma altitude de 120m.

Os engenheiros conduziram testes de lançamento preliminares com um “pássaro de ferro’,uma estrutura de aço e concreto que simulava um F-100.O pássaro de ferro realizou algumas manobras realmente impressionantes como alguns saltos mortais para trás,o que demonstrou a importância de se alinhar o booster com precisão.

O primeiro tiro real com um F-100 funcionou bem.O piloto de teste,o veterano Al Blackburn,descreveu o evento como “melhor do que qualquer volta que você dê na Disneylândia”.O segundo lançamento não foi tão bem.O booster não se separou e Blackburn não pôde fazer nada além de se ejetar e deixar o avião explodir sobre o deserto.Um exame posterior mostrou que o booster tinha ficado agarrado nos parafusos de acoplagem,que deveriam ter se soltado,mas não se soltaram.Um novo sistema de acoplamento foi desenhado com cargas explosivas que explodiriam os parafusos sob o comando do piloto.

Mais quatorze vôos foram realizados entre março e outubro de 1958.Todos foram bem sucedidos e tornaram-se uma perfeita rotina.Um piloto realizou um lançamento ZEL numa demonstração pública,fazendo um giro lento logo após a separação do booster.Não havia dúvidas de que o ZEL funcionava mas dessa vez surgiram dúvidas quanto à segurança em se lançar uma aeronave armada com uma bomba nuclear a partir de um reboque.Assim,foram realizados alguns lançamentos dentro de um abrigo reforçado na base Holloman no Novo México,com o último lançamento ocorrendo em 26 de fevereiro de 1959.Não houveram problemas.

148 F-100 foram modificados para ZEL.Em 1963,a Luftwaffe alemã patrocinou lançamentos de teste similares com um F-104G de ataque,com o piloto de teste da Lockheed Ed Brown efetuando os vôos.Brown ficou impressionado com o sistema,”Tudo que eu fiz foi apertar o botão do foguete booster e me encostar no assento.O avião fez tudo sozinho nos primeiros segundos e então e assumi o controle.Fiquei surpreso com a suavidade,era mais suave que o lançamento a partir de uma catapulta num porta-aviões.”

Nada mais se seguiu àquilo.Ninguém quis campear o ZEL.A idéia era ótima e funcionava bem numa base técnica restrita,mas era cara e criava sérias preocupações logísticas e de segurança.No fim,a capacidade oferecida pelo sistema foi fornecida pelos mísseis táticos e o Harrier VTOL,que não precisava de um foguete booster.Ninguém além dos pilotos de teste foi jamais lançado ao ar por um foguete booster.Não era uma idéia prática,mas certamente teria sido um passeio que nenhuma Disneylândia do mundo poderia oferecer.

Experimentos ZEL Soviéticos:

Como típico da Guerra Fria,o que os americanos estivessem fazendo,os soviéticos faziam também.Não é surpresa que eles tenham realizados experiências ZEL,usando sua contraparte ao F-100,o Mig-19.A motivação dos soviéticos era outra.Ao invéz de dispersar caças armados com bombas nucleares em resposta a um primeiro ataque,os soviéticos queriam lançar interceptores de defesa aérea a partir de locais remotos e áreas de batalha avançadas.O conceito foi sugerido pelo bureau de desenho Mikoyan-Gurevich e o desenvolvimento de sistema de lançamento do Mig-19 a partir de um reboque foi aprovado em 1955.O resultado foi uma versão do Mig-19 especialmente construída e designada “SM-30”.O SM-30 era reforçado para aumentar sua tolerância à decolagem usando um foguete booster e incluía um apoio especial para proteger a cabeça do piloto no momento do lançamento.A barbatana ventral individual do Mig-19 foi substituída por um par delas montadas ao lado do booster de combustível sólido PRD-22.Como o foguete usado no F-100,o PRD-22 gerava 59000kg de empuxo.O SM-30 era transportado a um lugar remoto sobre um grande reboque e então colocado num reboque separado para o lançamento.Uma trincheira tinha de ser escavada atrás do trailer para conter a exaustão do foguete,que poderia elevar uma nuvem de detritos visível à enormes distâncias.

A aeronave era presa ao aparato de lançamento por parafusos que se soltariam quando o pós-combustor fosse acionado.O primeiro teste de lançamento,usando um SM-30 guiado por controle remoto,ocorreu no outono de 1956.O lançamento foi suave mas o reboque de lançamento foi destroçado.Um escudo defletor foi posteriormente desenvolvido.O primeiro lançamento pilotado foi em abril de 1957,com o piloto de teste Georgi M. Shiyanov nos controles.Shiyanov tinha treinado para o lançamento num simulador especial,uma catapulta de lançamento,alcançando 18 Gs num teste quando o técnico que armou a catapulta cometeu um erro.

Shiyanov não sofreu ferimentos no incidente e não há menção sobre qualquer ferimento causado ao técnico.Assim como nos testes ZEL americanos,os lançamentos mostraram-se incrivelmente fáceis.Os pousos é que eram problemáticos.O pára-quedas padrão usado no Mig-19 não era adequado para as pistas precárias planejadas para o caça ZEL,um esquema de frenagem por cabos foi implementado e parcialmente testado.

Os testes terminaram quando o governo soviético perdeu interesse pelo conceito por razões um tanto similares às que mataram o ZEL americano.A necessidade de uma pista de pouso reduziu a atratividade do ZEL enquanto que o transporte de um sistema grande e desajeitado através do país era difícil,particularmente quando confrontado por obstáculos como túneis.O desenvolvimento de eficientes mísseis superfície-ar provou-se uma solução mais prática e o ZEL soviético não chegou a lugar nenhum.

Um comentário:

Janelas do rosto disse...

Te mandei um selo, pois gostei do conteúdo teu. Para visualizar só é me visitar.